(11) 3280-6979

“Eu não consigo ficar quieto”
“Eu não tenho tempo a perder”
“Meditar não é para mim, pois não consigo parar de pensar”.

Você já disse ou ouviu alguma destas frases?

Então este artigo é para você.

Os efeitos prejudiciais da sensação de tédio

Um preconceito comum entre os ocidentais é que meditar é algo tedioso. Na psicologia, o conceito de tédio se define como “a experiência de estar desconectado do mundo e preso em um presente insatisfatório. O tédio pode ser associado com graves problemas mentais, como depressão, ansiedade, somatização, compulsão, abuso de substâncias e inclusive maior mortalidade. Também se associa com uma redução do bem-estar psicológico, diminuindo o sentido da vida ou a satisfação pela vida pessoal ou profissional. O cultivo da atenção, mecanismo de ação principal em mindfulness, faz com que qualquer atividade, incluindo as rotineiras (como tomar banho, comer, limpar), se tornem atrativas, por que a atenção e a curiosidade (uma das atitudes de mindfulness), as tornem interessantes e sempre diferentes. (1)

Então por que muitas pessoas acham que meditar ou praticar mindfulness é chato?

O que ocorre é que quando começamos a praticar mindfulness, ao diminuir os objetos externos de atenção, pode dar a sensação de tédio a pessoas acostumadas a uma super estimulação contínua. Esta situação é comum nas primeiras semanas de prática, até que o meditante aprenda a se engajar efetivamente na atividade que estiver fazendo, momento a momento.

Outros mitos acerca da prática de mindfulness

O ritmo acelerado do estilo de vida principalmente nas cidades grandes traz bastante inquietação e também ansiedade para as pessoas. Então acham que não conseguem parar quietas. Com a prática regular de mindfulness, o corpo começa a aprender a se relaxar e assim pode começar a se aquietar sozinho. Um corpo mais tranquilo, abre espaço para uma mente mais tranquila.

Nesta mente mais tranquila, começamos a ter consciência dos pensamentos e aprendemos a deixar que passem, e não fiquem presos como carrapatos ou voltando sempre, como vacas ruminando. Então você não vai deixar de pensar, mas vai ter uma maneira totalmente nova de lidar com estes pensamentos.

E não é perda de tempo?

A prática regular de mindfulness, na verdade, tende a fazer com que você ganhe tempo! Com o treino da atenção plena, passará a estar mais focado nas suas tarefas, pois perceberá cada vez mais rápido que se distraiu e volta à sua concentração, além de ajudar a reduzir erros e retrabalho. Vai perceber também que o multitasking é um grande vilão, ladrão de tempo. E ao se concentrar totalmente na tarefa que está à sua frente, fará você ser muito mais produtivo.

Marina Neumann é engenheira eletrônica e possui MBA como Executivo Global. Fez cursos de especialização em escolas de renome como INSEAD, Columbia University e École de Management de Lyon. Em sua carreira como executiva, trabalhou em multinacionais da área de Tecnologia. Liderou também iniciativas de desenvolvimento de liderança feminina e programas de voluntariado. É sócia-fundadora do Instituto Latino Americano de Mindfulness e Bem Estar. Instrutora Certificada Search Inside Yourself, Mindfulness e Inteligência Emocional com Base em Neurociência. Especialista em Mindfulness pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP. Instrutora Sênior de Mindfulness certificada pela MTI, Mindfulness Trainings International.  Outras formações na área: Mindful Leadership,  MBCT-CA (mindfulness para pacientes com câncer, Mindful Schools (mindfulness para crianças), MBHP (mindfulness para promoção da saúde) e MBRP (mindfulness para prevenção de recaídas. Membro da ABRAMIND, Rede Aberta de Mindfulness, para instrutores que seguem as regras de boas práticas em Mindfulness, voluntária no comitê de Comunicação.