(11) 3280-6979

Previsão de 600.000 novos casos de câncer por ano no Brasil

No Brasil, prevê-se 600.000 novos casos de câncer por ano em 2018 e 2019, segundo anunciado pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) na Estimativa 2018 de Incidência de Câncer no Brasil. Embora estes números sejam assustadores, nas últimas três décadas, a taxa de sobrevivência de 5 anos tem crescido, chegando a 70% em brancos e 63% em negros.

Considerando-se o crescente número de sobreviventes ao câncer, resultante de uma combinação de detecção precoce e melhores taxas de sobrevivência após o tratamento, intervenções para suportar a fase de sobrevivência têm crescido em importância e urgência.

Pessoas que foram diagnosticadas com câncer enfrentam muitas dificuldades, incluindo altos níveis de distress, ansiedade, depressão e sintomas como fadiga, dores e distúrbio de sono, efeitos colaterais ao tratamento, dúvidas em relação à sexualidade, infertilidade e autoestima.  Vivenciam grandes mudanças nas atividades diárias e papeis sociais, familiares e profissionais, além do medo da morte e recorrência. Muitas destas dificuldades podem persistir à fase de sobrevivência.

Mindfulness e Oncologia

Uma abordagem de mindfulness pode ser adaptável a um conjunto grande de circunstâncias, inclusive viver com câncer. Perceber que a única coisa certa na vida é a mudança e que algumas vezes a melhor coisa a fazer para resolver um problema é aceitá-lo, pode ser bastante libertador e tranquilizante para as pessoas que estão tentando desesperadamente consertar as coisas. Aceitação neste contexto não quer dizer “desistir” ou não fazer o tratamento; mas sim reconhecer os fatos e ajudar a substituir a culpa pela aceitação da realidade da perda e do sofrimento.

Ao constatar que se pode diminuir o ritmo e ver as coisas como são, sem vendas, pode-se aprender novas maneiras de lidar com emoções fortes e sensações e isto pode ser realmente transformador. Entender que apesar de alguns sintomas específicos serem desagradáveis, podem ser toleráveis e variam de momento a momento, oferecendo um alívio ao sofrimento. Dar um passo atrás e ver que os pensamentos ferozes, preocupações e sensação de culpa ou alento são apenas eventos mentais e não necessariamente a verdade, oferece alívio adicional.

A mudança ocorre não somente pelo treino mental, com a prática de mindfulness, mas também pela mudança na atitude e perspectiva, vendo a sua doença com uma nova luz, sem permitir que o medo consuma as pessoas e dite o seu comportamento. Esta abordagem pode dar energia e motivação para seguir a estrada da vida, o que quer que seja que o futuro reserve.

Existem diversas características da experiência com câncer e de doenças em geral, que podem ser gerenciadas com uma abordagem com mindfulness. O diagnóstico geralmente desafia a visão comum de que as coisas na vida podem ser previsíveis e controláveis. Num nível existencial, as pessoas são forçadas a confrontar a sua própria mortalidade de uma maneira real, muitas vezes pela primeira vez. Podem acontecer mudanças substanciais e potencialmente permanentes na capacidade funcional, aparência e estilo de vida, além de ter que enfrentar a possibilidade de dores contínuas e disfunção. Os planos de vida são necessariamente alterados e a visão de futuro pode a vislumbrar uma piora da doença ou ainda uma recaída.

A maioria das pessoas sente medo, ansiedade e muitas vezes, depressão. Depois do tratamento, por mais positivos que sejam os prognósticos, permanece para a maioria das pessoas o medo de uma reincidência, o que pode tornar cada dor ou sensação em uma ameaça potencial de vida e resultar em um constante monitoramento ansioso.

Como as Práticas de Mindfulness podem Ajudar

As práticas de mindfulness permitem encurtar este processo, prevenindo estas escalações. Muitas destes problemas relacionados ao câncer podem ser gerenciados com um treinamento em mindfulness, que pode ser muito útil para lidar com os incontroláveis, imprevisíveis e emocionalmente carregados estressores da vida.

Os psicólogos classificam os problemas em duas categorias: podem ser resolvidos com técnicas de manejo focadas no problema ou necessitam manejo focado no lado emocional. O manejo focado no problema pode ser útil quando há tarefas a cumprir para resolver o problema. As pessoas abraçam os seus tratamentos, vão às consultas e exames e fazem tudo o que for possível para terem um resultado positivo. Em resposta ao sentimento de perda de controle, muitas pessoas tentam ainda mais controlar alguns aspectos de suas vidas e resolver os problemas, mas normalmente isto é uma batalha perdida. Grande parte da experiência com a doença requer manejo emocional, que pode ser difícil para pessoas não treinadas nesta área.

As Intervenções Baseadas em Mindfulness (IBMs) oferecem uma forma de manejo focado em emoções, que permite às pessoas abraçar a incerteza. As abordagens focadas no emocional, como as IBMs, podem ser especialmente úteis a pessoas enfrentando um diagnóstico de câncer. Aprender como aceitar nossa inabilidade fundamental de controlar ou mudar o curso da progressão da doença (e talvez a morte) traz um grande alívio e coragem.

Ao adotar a postura de observador de pensamentos e emoções, os pacientes podem se permitir processar estas experiências no seu próprio ritmo, percebendo que a sua experiência muda constantemente e que os seus pensamentos incômodos são eventos mentais e nem sempre são verdadeiros. Eles percebem que são muito mais do que um paciente de câncer, eles estão conectados e suportados por todos que compartilham com eles esta condição humana.

Mindfulness Based Cognitive Therapy for Cancer (MBCT-Ca)

O protocolo MBCT-Ca foi desenvolvido por Trish Bartley, instrutora de Mindfulness no Ysbyty Gwynedd Hospital no País de Gales, Trainer de Instrutores de Mindfulness e uma das fundadoras do Centre for Mindfulness, Research and Practice (CMRP) na Bangor University. Ela começou a ensinar pessoas com câncer em 2001, no departamento regional de oncologia no País de Gales. Ao longo de 10 anos com este trabalho, ela desenvolveu e adaptou o programa de 8 semanas MBCT para pessoas com câncer, com base nos programas MBCT, MBSR e CBT para Pessoas com Câncer. Ela foi treinada pelo John Kabat-Zinn e teve o suporte e orientação de Mark Williams e John Teasdale na adaptação do protocolo. Trish já teve câncer duas vezes.

Originalmente foi criado para a fase após o tratamento, mas tem sido oferecido para pessoas com todos os tipos e estágios de câncer (incluindo cuidados paliativos), tanto em hospitais como outros centros principalmente no Reino Unido e Europa e já iniciando sua expansão para outros locais. Familiares de pacientes também têm sido beneficiados.

O manual para instrutores ‘Mindfulness-Based Cognitive Therapy for Cancer: Gently Turning Towards’ foi publicado em 2012, com prefácio de John Teasdale, o principal mentor neste trabalho. Um novo livro ‘Mindfulness: A Kindly Approach to Being with Cancer‘ foi publicado em 2017 direcionado aos pacientes.

O MBCT-Ca é um tratamento baseado em grupo desenvolvido para pessoas com câncer. O programa é realizado em 8 semanas com um encontro semanal em grupos de 7 a 12 pessoas, com duração de duas horas e meia. Inclui também um mini retiro (4,5h) após o sexto encontro e um encontro de follow-up um mês após o final do programa de 90 minutos. Os participantes aprendem a praticar a meditação mindfulness, prestando atenção à respiração e ao corpo. Também são feitos exercícios suaves e algumas dinâmicas. Os exercícios ajudam os participantes a estarem mais conscientes das mudanças momento a momento no corpo e na mente.

O Enfoque do Programa MBCT-Ca

Usa o Modelo dos Três Círculos (Three Circle Modle) mostrado a seguir para explicar o processo. O curso é organizado ao redor dos Quatro Movimentos do Círculo de Presença: Intenção (Intention), Voltando-se à Experiência (Turning Towards), Gentileza (Kindness) e Retornando ao Presente/Âncora (Coming Back) para cultivar as quatro qualidades: apreciar a riqueza da experiência, experenciar o campo da clareza, confiança para estar com a experiência e se conectando com a humanidade compartilhada.

Existem três grupos de práticas: Práticas Formais Principais (Core Practices), Práticas Curtas (Short Practices), além de dinâmicas e incentivo a práticas informais.  No livro para pacientes foram introduzidas as Práticas Específicas (Cancer Practices). O programa também incluir o apoio de leitura de textos e poesias relacionadas ao momento dos pacientes.

O curso MBCT-Ca é oferecido de forma individual no ILAMB (presencial ou à distância) e pode ser levado pra clínicas de oncologia e hospitais em grupos fechados.

Conheça também outros programas de mindfulness na nossa página de cursos.

Texto extraído do Trabalho de Conclusão de Curso da Autora: “MBCR E MBCT-Ca: Intervenções Baseadas em Mindfulness para Pacientes com Câncer”. Especialização em Mindfulness na UNIFESP/Escola Paulista de Medicina/Medicina Preventiva.

Marina Neumann é Instrutora de Mindfulness certificada pela MTI – Mindfulness Training International e Centro Mente Aberta/UNIFESP. Conclui sua especialização em Mindfulness em abril/2018. Possui diversas certificações em outros protocolos como Mindfulness na Liderança, Mindful Schools e MBRP – Prevenção de Recaídas Baseado em Mindfulness. Foi aluna de Trish Bartley na Bangor University, País de Gales, onde fez o treinamento para instrutores de mindfulness no protocolo MBCT-Ca (Mindfulness Based Cognitive Therapy for Câncer). Praticante de meditação há mais de 20 anos, Marina teve câncer de mama em 2012, quando teve contato com a Medicina Integrativa e vivenciou profundamente os benefícios da prática de meditação durante todo o tratamento (quimioterapia, mastectomia, radioterapia). Teve uma vida plena nesta fase, trabalhando, viajando e respeitando os seus limites. Tem agora como missão compartilhar a sua experiência, vivência e conhecimentos com quem possa se beneficiar destas práticas.